Alfabetização Emocional: entenda o que é

A Alfabetização Emocional é um conceito que está cada vez mais em voga em nossa sociedade. Sua importância para a formação de cidadãos evoluídos profissional e pessoalmente têm sido valorizada e persuadida, principalmente na educação infantil. Mas você sabe o que de fato é a Alfabetização Emocional? Vamos apresentar no texto seu contexto e importância na formação do ser humano. Confira:

O conceito de Inteligência Emocional

Inteligência emocional é um conceito em Psicologia que descreve a capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles. A designação de inteligência emocional mais antiga remonta  a Charles Darwin, que em sua obra referiu a importância da expressão emocional para a sobrevivência e adaptação. Embora as definições tradicionais de inteligência enfatizem os aspectos cognitivos, como memória e resolução de problemas, vários pesquisadores de renome no campo da inteligência são unânimes em reconhecer a importância dos aspectos socioemocionais para um desenvolvimento integral.

Importância da educação emocional para formação integral

Durante anos, as emoções foram negligenciadas enquanto algo de importância significativa na educação, não era ensinado o que são as emoções, quais funções elas exercem, como podemos identificá-las e como conseguir lidar com elas da melhor maneira possível. Até que aos poucos elas retomaram o protagonismo merecido, reconhecendo sua importância para formação como um todo do ser humano.

A Alfabetização Emocional é um processo de educação contínuo que tem objetivo de potencializar o desenvolvimento emocional enquanto um complemento indispensável para o desenvolvimento cognitivo do ser humano. Ou seja, é a construção em conjunto de ambos os elementos que são essenciais para o desenvolvimento integral da personalidade.

A educação das emoções é baseada em descobertas no campo da neurologia e diversos estudos, como o de Howard Gardner, por exemplo, que trata das “múltiplas inteligências”. Portanto quando essas inteligências recebem estímulos adequados pelos professores, elas irão se expandir com o tempo.

Quociente de Inteligência + Quociente Emocional = Formação completa

As crianças vivem na escola com a impressão de que inteligência é saber todas as respostas, ou que o aluno mais inteligente é aquele que tira as melhores notas. A inteligência emocional vem justamente desfazer essa ideia. Pesquisas mais  recentes na área de educação e desenvolvimento apontam que o Quociente Emocional (QE) é tão importante quanto o Quociente de Inteligência (QI), mas pouco se faz nas escolas para se desenvolver esse QE. Isso ocorre pois ainda estamos muito presos às provas e aos métodos de avaliação que exigem muito mais do QI do aluno do que seu QE.

Benefícios da Alfabetização Emocional

O controle das emoções é fundamental para o desenvolvimento e a evolução de um indivíduo, o que contribui diretamente na construção de uma sociedade formada por pessoas mais confiantes, equilibradas, menos ansiosas e com uma autoimagem positiva.

A chegada ao mercado de trabalho é um momento difícil e estressante na vida de

cada indivíduo, e com certeza as pessoas dotadas de bom quociente emocional poderão passar  por esse momento de forma mais leve e natural. Essa fase pode deflagrar a necessidade  de um desenvolvimento socioemocional completo, porém esse tipo de desenvolvimento pode e deve ser estimulado em idades muito mais tenras, talvez desde a própria entrada no ambiente escolar.

A emoção positiva irá ajudar no interesse e concentração dos alunos. Assim como a capacidade de lidar com emoções como: medo, vergonha, ansiedade, timidez, depressão.

O desenvolvimento emocional dentro da sala de aula

Há em curso um movimento global para estimular esse desenvolvimento socioemocional justamente dentro da sala de aula, visto que a escola é a segunda instituição mais importante na vida das crianças, atrás apenas da família. A escola assume e aceita essa importância, tanto por ser um espaço relevante de socialização e convivência das crianças, quanto pela grande quantidade de tempo que se vive dentro dela.

Para o educador é muito mais que uma modalidade, é uma necessidade trabalhar com as emoções, de maneira que o aluno aprenda a definir o que está sentindo e o professor lhe ensine a gerenciar essas emoções.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − cinco =