Alfabetização Emocional e Socioemocional

Alfabetização Emocional: entenda o que é

Relacionar-se bem, saber dominar as suas emoções e respeitar os sentimentos dos outros não ações de domínio fácil e aquisição natural. Dessa forma, muitos educadores acreditam que a Alfabetização Emocional pode exercer o seu papel com excelência na construção da gestão de emoções dos indivíduos.

Mais do que isso, acreditam que ela contribui para a construção social e profissional deste. Sendo assim, explicaremos a seguir O que é Alfabetização Emocional e a sua aplicabilidade na vida das pessoas.

O conceito de Alfabetização Emocional

A Alfabetização Emocional descreve a capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos. Além disso, trata também da compreensão dos sentimentos alheios e da capacidade do indivíduo conviver e interpretá-los. O tema é colocado em pauta desde a época de Charles Darwin, o qual foi o primeiro a apontar a relevância das emoções na sobrevivência dos seres vivos.

A partir de então, o termo foi ganhando forma com outros pensadores e estudiosos do tema. Hoje ele é considerado uma das formas mais assertivas de construção de uma pessoa. Isso porque para garantir um bom rendimento, quando se trata de Inteligência nos aspectos cognitivos, é altamente necessário que o indivíduo saiba lidar com suas emoções durante seu desenvolvimento.

Importância da Educação Emocional para formação integral

Durante muito tempo as emoções foram deixadas de lado quando assunto era “Educação Escolar”. Ou seja, não havia abordagens que tratassem e revelassem a importância dela para a construção e desenvolvimento das pessoas. Nessa época, não havia ensino sobre o surgimento das emoções, suas funções e identificações.

Com o tempo algumas instituições começaram a tratar o tema com a sua devida importância. Hoje, a Alfabetização Emocional passa por um processo contínuo de educação, ou seja, ela é complementar ao desenvolvimento cognitivo. A união dessas forças garante um sucesso muito mais significativo enquanto formador de personalidades dos cidadãos.

Hoje as Instituições que trabalham a Alfabetização Emocional se utiliza, entre outros, do autor Howard Gardner. Ele é um estudioso do tema e afirma que a Educação das Emoções é relativa às Múltiplas Inteligências, ou seja, ao receber estímulo frequente ela se expande.

Quociente de Inteligência + Quociente Emocional = Formação completa

Em maio ao sistema tradicional de ensino, as crianças vivem na escola com a impressão de que Ser Inteligente é sinônimo de Saber todas as Respostas, ou que o aluno mais inteligente é aquele que tira as melhores notas. Porém, a real sabedoria não se resume a isso.

A Inteligência Emocional vem justamente desfazer essa ideia. Pesquisas mais  recentes na área de educação e desenvolvimento apontam que o Quociente Emocional (QE) é tão importante quanto o Quociente de Inteligência (QI). Apesar disso, nem todas as escolas trabalham o desenvolvimento do QE em seus alunos. Isso ocorre pois ainda estamos muito presos às provas e aos métodos de avaliação “tradicionais”.

Benefícios da Alfabetização Emocional

O controle das emoções é fundamental para o desenvolvimento e a evolução de um indivíduo justamente pela sua contribuição direta na construção de uma sociedade formada por pessoas mais confiante e equilibrada.

Muitas das tomadas de decisões tornam os estímulos emocionais ainda mais conturbados. Ou seja, situações como problemas amorosos, ingresso na faculdade, escolha de uma carreira e até mesmo problemas familiares se tornam bem menos preocupantes quando acompanhados de um bom reconhecimento emocional. Para que haja esse controle, portanto, quanto antes o indivíduo for apresentado a Alfabetização Emocional, melhor para seu desenvolvimento.

O desenvolvimento emocional dentro da sala de aula

Considerando a Escola como a segunda instituição mais importante para o desenvolvimento do indivíduo, entendemos que é de grande importância que elas abracem a ideia de contribuir para a Alfabetização Emocional de seus alunos.

Se você tem interesse de saber mais sobre o tema e de levá-lo ou indicá-lo para a sua Instituição de Ensino, clique aqui e entenda Como criar o pilar socioemocional na sua escola. 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 11 =