Quem é Howard Gardner

Quem é Howard Gardner e o que é Teoria das Inteligências Múltiplas

Muitos são os autores que dialogam sobre a educação e suas nuances. Um dos mais renomados e reconhecidos internacionalmente é Howard Gardner, psicólogo cognitivo e educacional e professor na Universidade Harvard, considerada uma das melhores do mundo.

O autor virá ao Brasil no dia 25 de agosto para participar do Congresso Socioemocional LIV 2018 após dez anos sem visitar nosso país e falará com exclusividade aos convidados do nosso evento.

Para você conhecer mais sobre o trabalho desse especialista, reunimos aqui algumas informações sobre quem é Howard Gardner e qual a importância de suas pesquisas para o avanço da educação. Confira!

Quem é Howard Gardner?

Professor de psicologia na Universidade Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos, Howard Gardner é também diretor sênior do Projeto Harvard Zero e do The Good Project, projetos que serão abordados em sua fala no Congresso Socioemocional LIV 2018.

Segundo o site oficial da Universidade, entre as diversas honras recebidas por Gardner, estão uma bolsa do Prêmio MacArthur e uma bolsa da Fundação Memorial John S. Guggenheim ,recebidas em 1981 e 2000, respectivamente.

Autor de mais de trinta livros e dezenas de artigos publicados, Gardner é conhecido na área educacional principalmente por causa de sua teoria sobre as inteligências múltiplas (vamos falar disso mais a seguir).

Para entender quem é Howard Gardner, precisamos voltar um pouco no seu passado. Ainda na Pós-Graduação, ele pesquisou sobre a Inteligência lógico-matemática, defendida por Jean Piaget. Nesse sentido, já se mostrava interessado pelo tema das inteligências múltiplas, que seria sua tese mais adiante.

Além disso, a definição de quem é Howard Gardner também se passa pelo fato de que ele sempre foi muito dedicado às artes e à música. Nesse sentido, imerso em um mundo que manifesta atividades estéticas e de comunicação com grande força, Gardner começou a supor que as aptidões intelectuais humanas não eram tudo o que uma pessoa precisava ter. Ou seja, o seu QI (Quociente de Inteligência, que mede o conhecimento cognitivo e lógico-matemático de uma pessoa) não era suficiente para medir suas reais competências e habilidades.

Dentro desse contexto, Gardner desenvolveu a ideia de que cada um de nós temos um número de faculdades mentais que são relativas, ou seja, todos somos diferentes.

Qual o estudo de Howard Gardner?

Agora que já sabemos quem é Howard Gardner, vamos entender qual é a importância do seu trabalho para a sociedade.

Já atraído por essa área de estudo, Gardner recebeu influências do trabalho do norte-americano Robert Sterberg, que estudou as variações do conceito de inteligência inserido em diversas culturas. Dessa forma, Gardner passou a buscar mais informações sobre a inteligência humana.

Em seus primeiros estudos, ele levou em consideração a inteligência dos gênios, depois, a das pessoas com lesões ou disfunções cerebrais. Assim, ele foi formulando hipóteses sobre habilidades individuais e qual região do cérebro reagia a tipos diferentes de estímulos.

Dentre diversos outros estudos feitos por Howard Gardner, ele concluiu, até então, que a inteligência humana estaria dividida em sete tipos. Continue lendo para saber mais sobre elas.

Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner

Inteligência Lógico-Matemática: diz respeito à capacidade de realizações operacionais de uma pessoa. Ou seja, operações numéricas e dedutivas.

Inteligência Linguística: está diretamente relacionada à habilidade de aprender idiomas variados. Além disso, também está ligada à capacidade de usar a fala e a escrita para um fim, como a comunicação interpessoal, por exemplo.

Inteligência Espacial: essa diz respeito à capacidade de compreensão, reconhecimento e manipulação de situações que estejam considerando a visão como fator determinante.

Inteligência Físico-Cinestésica: podemos entendê-la como uma “inteligência corporal”. Está relacionada à capacidade de utilizar os movimentos corporais para resolução de algo. Vai desde montar um brinquedo até contribuir na construção de um carro ou uma casa.

Inteligência Interpessoal: está ligada ao entendimento das intenções e desejos das pessoas. Reflexo direto na relação social do indivíduo em grupo.

Inteligência Intrapessoal: diretamente ligada ao desenvolvimento de uma compreensão de si. Essa é a inteligência que é trabalhada para se conhecer e poder agir para alcançar objetivos pessoais.

Inteligência Musical: é o que muitos chamam de talento musical. É aquela aptidão por compor, tocar ou estar inserido no universo dos padrões musicais.

Em um segundo momento, Gardner também adicionou à essa lista as seguintes inteligências:

Inteligência Natural: aquela que está relacionada ao reconhecimento e classificação de uma espécie da natureza.

Inteligência Existencial: ligada a reflexão sobre temas que estão presentes na nossa vida.

Como está sente atualizando suas pesquisas, Gardner também considerou mais adequado manter as inteligências Interpessoal e Intrapessoal em uma única classificação.

Por que a Teoria das Inteligências Múltiplas é importante

Em um artigo escrito por Gardner e publicado originalmente no jornal americano The Washington Post em 2013, o estudioso afirma que acredita que a Teoria das Inteligências Múltiplas funciona como se fosse um computador para todos os fins.

Mais do que isso, que esse computador determina o quão bem você vai performar em cada setor da sua vida. Nesse sentido, as inteligências múltiplas são interfaces que abrangem informações linguísticas, informações espaciais, informações musicais, informações sobre outras pessoas, e assim por diante. Para ler mais sobre esse aspecto, acesse o artigo original (em inglês): Multiple Intelligences Are Not Learning Styles

Como a Teoria das Inteligências Múltiplas pode ser aplicada na educação

A partir do seu trabalho, instituições de educação de todo o mundo começaram a refletir sobre suas metodologias de ensino. Mais do que isso, essas escolas têm aplicado procedimentos educacionais que estimulam todas as áreas potenciais de seus alunos, visando desenvolver os aspectos cognitivos e também socioemocionais.

Ou seja, a partir da compreensão da existência de Inteligências Múltiplas, muitas escolas têm pensado em atividades que vão além de aprender matemática, química, português, etc. Com uma forma de ensino que leva em consideração muito mais do que testes de QI, os alunos conseguem desenvolver suas diferentes inteligências e descobrir quais são suas aptidões.

Estimular que as pessoas consigam resolver problemas usando suas diferentes inteligências é uma das principais contribuições dessa teoria. Isso porque mostra que toda essa reflexão está diretamente relacionada à melhora da vida social e emocional entre as pessoas. Mais do que isso, está relacionada à melhora da convivência consigo mesmo.

Em suma, o trabalho de Howard Gardner facilita uma visão completa do indivíduo. Visão na qual cada pessoa consegue perceber-se como inteiro da sua maneira, dentro e fora salas de aula.

Durante o Congresso Socioemocional LIV 2018, Gardner irá falar mais sobre suas pesquisas e dar exemplos práticos de como elas podem ser levadas para a realidade das escolas. Para saber mais sobre o tema, fique de olho aqui em nosso blog. Toda semana iremos publicar conteúdos novos e atuais sobre educação socioemocional, inteligência emocional e outros temas relacionados à educação!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × três =