Entrevista exclusiva com Marcos Piangers

Já contamos aqui no Blog do LIV sobre a gravação que fizemos com o escritor, palestrante e autor do best seller O Papai é Pop Marcos Piangers durante as ações de nossa campanha Sinta LIV. No post de hoje, vamos falar sobre uma entrevista muito especial que gravamos durante nosso encontro com ele, que atualmente é uma das maiores referências sobre paternidade do país e que popularizou o tema graças a seus canais no YouTube e nas redes sociais.

Nessa entrevista exclusiva com o LIV, Piangers começou falando sobre a importância de falarmos sobre os sentimentos no contexto familiar. Para ele, a maioria das pessoas é incentivada a abafar os sentimentos, a chorar escondido, a esconder quando está com raiva e até a ter vergonha de estar triste. “Mas quando a gente conhece os sentimentos e entende quem a gente é, podemos ter atitudes positivas, trabalhar nossos sentimentos em nossos relacionamentos. Quando você estuda os sentimentos, você estuda você”, afirmou Piangers durante o bate-papo com a equipe do LIV. (Se você quer ir direto para a entrevista, é só avançar até o final deste post e conferir na íntegra).

A importância da família

Em nossa conversa, Piangers também falou sobre a participação da família, especialmente dos homens, na criança das crianças e o impacto deles no desenvolvimento emocional de seus filhos. “Em geral, nós homens abafamos todos os sentimentos: tudo o que é tristeza, tudo o que é alegria e, muitas vezes, tudo o que é amor. Toda alegria que não é socialmente aceita é escondida. E me parece que as alegrias aceitas no homem são as relacionadas ao futebol, ao sucesso profissional, à realização, ao dinheiro, enquanto todos os sentimentos são abafados”.

Ainda sobre esse ponto, Piangers destaca que muitos homens já estão enxergando a necessidade de dar mais espaço para os sentimentos e que uma paternidade distanciada não é suficiente. “É muito acalentador encontrar homes que entendam a importância de falar de sentimentos, de ser um pai melhor, um marido melhor”.

Escola e sentimentos

Quando perguntado sobre a participação da família na escola, o escritor defende a aproximação dos pais e educadores. “A melhor escola é a escola na qual as famílias podem participar de perto, de conhecer os professores e conhecer o que as crianças estão aprendendo.  A escola é mais uma chance de uma pessoa conhecer seu filho. Estar dentro da escola é primordial”, destaca.

Ele acredita ainda que é preciso mostrar às famílias que a escola não é um depósito de crianças, onde eles podem deixar seus filhos enquanto trabalham, ou, em outros casos, um lugar que deve cuidar de todas as relações porque eles não têm tempo em casa. “Com isso, os pais perdem a chance de experimentar o relacionamento com o filho e de realizar a maior dádiva da vida que é formar um ser humano melhor do que nós somos”, explica. “Se a escola fala de sentimentos, os pais também têm a responsabilidade de falar sobre essas questões. Pais e escola são complementares na construção de um ser que vai exercer todas as suas potencialidades”, completa.

Para ver a entrevista na íntegra, acesso o vídeo abaixo.

E se você ainda não conferiu o primeiro vídeo de Piangers sobre o LIV, não perca a chance e clique aqui.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + dezoito =