Marcos Piangers: “Seja o herói que seu filho acredita que você é”

Marcos Piangers é um dos poucos atualmente a falar sobre a importância da paternidade com abertura e naturalidade. Escritor e palestrante, ele defende que “um homem é mais homem quando valoriza o contato com os filhos, troca fraldas, sabe da rotina da escola e quem é o amigo favorito da criança”. Diz que ama e faz comida em casa, rotina que inspira seus textos e que ele propaga para inspirar outros homens.

No 3º Congresso Socioemocional LIV, realizado no Rio de Janeiro dias 7 e 8 de junho, sua palestra para educadores e gestores escolares foi um sucesso. Descontraído, envolvente e provocador como no vídeo “Fale de Sentimentos” e no livro “O Papai é Pop”, que já tem mais de 300 mil cópias vendidas, Piangers despertou reflexões sobre criação dos filhos e o papel do homem nesse processo. As principais ideias apresentadas você encontra abaixo.

O pai que não tive e o homem que a sociedade espera

“[Quando eu era criança] meu pai biológico mudou de cidade e nunca mais a gente se viu. Minha mãe me criou sozinha. Eu achava que minha casa era muito vazia. Então, quando eu e minha esposa decidimos ter filhos, eu vi que poderia ser o pai que eu não tive. Esse processo de descobrir como é ser um pai também vem acompanhado de ser o homem que a sociedade espera: o provedor (e pagador de contas) ou o pegador (aquele que vai ter amante mesmo quando casado). Ambas são construções masculinas equivocadas! Para complicar ainda mais, somos incentivados a não falar dos sentimentos, não chorar, não fazer terapia, não dizer que doeu.”

Seu filho só quer você. Quer te conhecer, viver um tempo de qualidade, mas também em quantidade. Afinal, você não se torna profundamente amigo se passa pouco tempo com a pessoa.” – Marcos Piangers

Tempo de quantidade e qualidade

“O que acontece quando aparece um filho? O homem foge porque não consegue aliar a paternidade com a função de provedor ou pegador. Desconstruir isso passa pela revisão da masculinidade e incentivo pela participação do homem. Aprendemos muito sendo pai.  

Eu estava com minhas filhas no primeiro dente, no primeiro coco de mamão, na engrenagem do dia a dia. É muito, muito difícil ter filho! Entendo por que terceirizam a criação para Peppa Pig, babá, escola: muitas vezes há um desconforto do pai em estar a sós com o filho. Mas seu filho só quer você. Quer te conhecer, viver um tempo de qualidade, mas também em quantidade. Afinal, você não se torna profundamente amigo se passa pouco tempo com a pessoa. Tudo o que vivemos com nosso filho é precioso. O filho percebe que você é raro.”

As falas são valiosas

“Quando você presta atenção no seu filho, aprende muito! Minha filha mais velha já me disse que ‘a única forma de eu olhar para ela é se ela estiver atrás da tela do celular’ e que é preciso ‘tirar menos foto e viver mais a vida real’. A caçula, que está sempre feliz com tudo, diz que ‘quer ser um unicórnio quando crescer’ e pede para eu me fantasiar de princesa Elsa na festa dela. Tudo que os filhos fazem e nos falam é muito valioso. Quero valorizar cada momento que temos juntos.”

 “Só tem uma pessoa para ser pai dos seus filhos: você” – Marcos Piangers

O recado social

“Você já viu alguma boneca que fala ‘papai’ e não apenas ‘mamãe’ ou outras palavras? Já reparou que em nosso país não há trocador de fraldas no banheiro masculino? E a licença paternidade, que só tem 5 dias!? Precisamos redesenhar o papel do pai na família. Seja o herói que seu filho acredita que você é. Aceitar promoção do emprego e ficar meses fora de casa não significa amar a família. Só tem uma pessoa para ser pai dos seus filhos: você.”

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 13 =