Atividades que custam pouco para sair do básico nas férias escolares

Mesmo que viajar não esteja nos seus planos, as férias escolares não precisam ser sinônimo de criança em casa sem nada para fazer. É possível sair do básico e aproveitar o dia gastando pouco. 

Se esse é seu objetivo nessas férias, podemos ajudar indicando uma seleção de ideias. Você pode escolher uma ou várias e colocar no calendário os melhores dias para fazer cada atividade. Em alguns casos, você pode se organizar para deixar a diversão durar apenas um período do dia, em outros casos vai precisar dedicar o dia todo, mas nada que um bom planejamento não possa ajudar. 

Confira nossas indicações:

Ao ar livre

O contato com a natureza é um dos principais aspectos que contribuem para um desenvolvimento saudável, tanto para adultos quanto para crianças e adolescentes. Mesmo nas grandes cidades, com um pouco de planejamento é possível fazer coisas legais fora de casa gastando pouco. Separamos algumas opções para você colocar toda a família na rua:

  • Jogos e brincadeiras

Quando brincar na rua não é uma possibilidade viável na maioria das cidades, os parques e quadras comunitárias oferecem uma opção gratuita de sair de casa e interagir na comunidade. Com o espaço disponível, as possibilidades de brincadeiras e jogos são infinitas: vôlei, futebol, basquete, queimada, pega-pega, brincadeiras de roda, etc. Uma opção bacana é organizar uma rodada em que cada pessoa sugere uma brincadeira ou um jogo que goste. 

Dica: Procurando novas ideias para brincar? Indicamos o livro brincadeiras africanas, da autora Débora Alfaia da Cunha, disponível para leitura gratuita. Clique aqui para conferir.

  • Trilhas e caminhadas

Mesmo nas cidades grandes costumam existir áreas verdes que possibilitam as trilhas e as caminhadas pela natureza, seja um parque dentro de um centro urbano ou em caminhos em praias, florestas e montanhas. Para começar, pesquise as áreas de caminhada ou trilha na sua região abertas ao público e descubra uma que seja adequada para a idade e tipo físico de todos que forem participar da atividade, tanto crianças quanto adultos. Às vezes a caminhada dura uma hora, mas outras vezes um percurso pode durar o dia todo ou até mais dias. Por isso, planeje o roteiro considerando a duração e as pausas necessárias para cada nível de dificuldade.

Dica: Quer saber mais sobre como se preparar para uma trilha ao ar livre com ou sem acampamento? Clique aqui.

  • Piquenique

Nessa atividade não tem como errar: todo mundo adora encontros com comidinhas (a não ser que esqueça de olhar a previsão do tempo e encontre chuva). Ainda assim, até dentro de casa dá para inventar um piquenique para a família ou para as crianças e seus colegas mais próximos. Seja em casa ou fora, você pode inovar também nas opções de cardápio convidando todos a pensar em um piquenique temático ou combinar de cada um fazer um prato ou refresco diferente para a ocasião.

Dica: Envolver as crianças e adolescentes na preparação é outra maneira de promover novos momentos em família, convidando-os a escolher o lugar e preparar os alimentos.

  • Jornada cultural

Descubra espaços de cultura disponíveis na sua cidade ou em lugares próximos e faça uma jornada cultural ao longo das férias, tentando variar entre teatro, literatura, exposição e música, por exemplo. Faça uma lista das possibilidades disponíveis e veja como reduzir os custos do lazer. Museus, galerias, centros culturais e marcos históricos, por exemplo, costumam ter dias na programação com entrada gratuita, então vale descobrir se isso é viável na sua cidade. Já bibliotecas e teatros públicos também costumam oferecer programações abertas disponíveis aos moradores, em alguns casos com opções gratuitas ou de baixo custo. Sempre vale a pena pedir pela programação do mês.

Dica: Para aguçar a curiosidade por artes, uma sugestão é o aplicativo gratuito Google Arts & Culture, que oferece um grande acervo sobre diversas obras de arte de diferentes partes do mundo, incluindo o Brasil, com informações sobre as peças, os artistas e os museus, incluindo visitas virtuais. Além disso, tem uma ferramenta que usa o GPS do celular para localizar atrações culturais perto da sua localização, o que pode ajudar para descobrir lugares novos na cidade ou quando estiver viajando.
H

Em casa

  • Jogos analógicos 

É possível que a criança ou adolescente não tire os olhos do celular e a ideia de um jogo de mesa ou tabuleiro possa ser uma opção distante para eles, mas vale a pena investir nessa atividade, pois muitas vezes a dificuldade com os jogos analógicos é apenas falta de prática. Há tipos de jogos para todos os gostos, que podem ser feitos com baralhos comuns, dominós, tabuleiros dos clássicos dama e xadrez, e outros mais recentes, mas que vêm agradando jogadores de todas as idades, como Dixit e Concept, que trabalham com aspectos de dedução.

Dica: Para reduzir os custos, uma opção é olhar sebos e lojas de segunda mão, que costumam ter opções de jogos de tabuleiro disponíveis em bom estado. 

  • Jogos virtuais

Que tal mudar a proposta anterior e optar por um jogo virtual? Seja no computador, com um console na TV ou no celular, vocês podem encontrar juntos algum jogo que seja do agrado de todos e propor algumas partidas juntos. No caso dos celulares, é possível encontrar jogos que conectam os dois aparelhos ao mesmo tempo por bluetooth, mas a maioria dos jogos atuais permite a conexão online entre os jogares da maioria dos apps disponíveis.

Dicas: Lembre-se de conferir as opções disponíveis por faixa etária usando os filtros de controle para pais na Apple Store ou no Google Play.

  • Dia de chef

Sabe aqueles programas de televisão em que cada um faz um prato e os outros avaliam o sabor? A ideia dessa proposta é exatamente essa. Ao longo da semana, cada membro da casa (crianças com supervisão) pode ficar responsável por fazer um prato do cardápio e, ao final da semana, todos avaliam juntos os prós e contras de cada prato. Vale brincar com comidas que são opções para o café da manhã, os lanches ou as refeições principais, com o nível de dificuldade variando de acordo com a faixa etária e prática dos participantes.

Dica: A internet tem um universo infinito de receitas. Uma ideia que pode acrescentar nessa atividade é filtrar as opções usando algum tipo de categoria temática, por exemplo, culinárias de outros países, culinária local, pratos de baixa caloria etc. Assim todos podem participar do jogo dentro de uma mesma categoria.

**

Tem mais ideias para compartilhar? Envie para a gente por mensagem ou poste nas redes sociais marcando a página do LIV @laboratoriointeligenciadevida.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 19 =